Atendimento

0

Fabricação própria

de equipamentos

Envios

para todo o Brasil

Fidelidade

compre e ganhe bônus

Pague com cartão

em até 12x sem juros

Pague com PIX

e ganhe 5% de desconto

07/01/2024

Série Escolas Cervejeiras: Escola Belga

A Escola Belga de cerveja é uma das quatro escolas cervejeiras reconhecidas no mundo, abrangendo Bélgica, Holanda e França. Esta escola é conhecida por sua tradição e inovação, caracterizada por sua criatividade e ousadia na produção de cerveja.

Os cervejeiros belgas são conhecidos por reinventar a arte de fazer cerveja, adicionando especiarias, frutas e outros ingredientes inusitados. Esta abordagem contrasta com a abordagem mais rígida e tradicionalista de outras escolas, como a Escola Alemã.

A Escola Belga é famosa por suas fermentações espontâneas, um processo que pode durar até dois anos e é realizado principalmente na região de Pajottenland, a oeste de Bruxelas. As cervejas de fermentação espontânea possuem características únicas, com sabores frutados, pungentes e de caráter ácido.

Outra característica marcante da Escola Belga é a produção de cervejas trapistas, feitas por monges da Ordem Trapista. Atualmente, existem 12 cervejarias trapistas reconhecidas no mundo, metade delas situadas na Bélgica. As cervejas trapistas belgas são frequentemente associadas a cervejas fortes, de cor âmbar escuro e com sedimentos na garrafa.

Os estilos mais comuns de cervejas belgas incluem Belgian Blond, Witbier, Belgian Dark Strong Ale, Strong Golden Ale, Tripel, Dubbel e Quadruppel. As cervejas belgas são conhecidas por sua complexidade e diversidade, com muitas não se encaixando perfeitamente em um estilo existente.

  1. Belgian Blond Ale é um estilo que traz notas do malte remetendo a pão e mel, além de ésteres frutados e perfil do lúpulo condimentado e/ou terroso. Já a Belgian Golden Strong Ale é conhecida por sua cor dourada forte e seu sabor complexo, que pode incluir notas de frutas, especiarias e álcool.

  2. Witbier: Este estilo é conhecido por sua doçura maltada moderada, muitas vezes com notas leves de mel e/ou baunilha, juntamente com aromas de trigo leves, granulados e picantes. A Witbier também apresenta um sabor de trigo levemente amanteigado e uma acidez ligeiramente láctica. Os sabores de especiarias e ervas, que podem incluir coentro e outras especiarias, são comuns e devem ser sutis e equilibrados.

  3. Belgian Dark Strong Ale: Este estilo é complexo, com uma rica doçura maltada, ésteres significativos e álcool, e uma leve a moderada picância opcional. A maltagem é rica e forte, e pode ter uma qualidade tipo Munich, muitas vezes com um aroma de caramelo, torrada e/ou pão. Os ésteres frutados são fortes a moderadamente baixos, e podem conter notas de passas, ameixas, cerejas secas, figos ou ameixas.

  4. Belgian Golden Strong Ale: Este estilo é caracterizado por uma combinação de sabores frutados, picantes e alcoólicos, apoiados por um caráter maltado suave. Os ésteres lembram frutas mais leves, como peras, laranjas ou maçãs. A picância fenólica é baixa a moderadamente baixa e é de caráter pimenta. Um caráter de lúpulo picante baixo a moderado é frequentemente presente.

  5. Tripel: A Tripel belga é descrita como uma cerveja trapista pálida, um pouco picante, seca e forte, com um sabor agradável de malte arredondado e amargura firme. É picante e às vezes até semelhante ao cravo. Quando você toma um gole, tente saborear as notas complexas de cítricos de laranja, banana sutil, floral e a famosa especiaria característica. Pode deixar um leve retrogosto amargo, mas nada muito agudo.

Cada um desses estilos tem suas próprias características únicas, mas todos compartilham a criatividade e a ousadia que são marcas registradas da Escola Belga de cerveja.