Atendimento

0

Fabricação própria

de equipamentos

Envios

para todo o Brasil

Fidelidade

compre e ganhe bônus

Pague com cartão

em até 12x sem juros

Pague com PIX

e ganhe 5% de desconto

19/02/2024

Técnicas Modernas de Lupulagem.

No mundo em constante evolução da fabricação de cervejas artesanais, as técnicas de lupulagem são fundamentais para definir o perfil de sabor e aroma da cerveja. Embora algumas metodologias sejam rotuladas como modernas, é importante entender que muitas dessas técnicas têm raízes históricas que foram reavaliadas ou redescobertas nos tempos recentes. Aqui, exploraremos as nuances tanto das técnicas contemporâneas quanto das tradicionais de lupulagem que são populares entre os cervejeiros hoje.

Adicionar lúpulo no início da fervura é uma prática antiga que confere amargor à cerveja. Isso é particularmente importante para estilos voltados ao lúpulo, como as India Pale Ales (IPAs), onde um amargor pronunciado é uma característica definidora. O tempo prolongado de fervura permite a isomerização dos ácidos alfa, que contribui para o sabor amargo.

Lúpulos adicionados no final da fervura ou durante a fase de dry hopping são todos sobre aroma. Essas técnicas são favorecidas em estilos onde o perfil aromático é uma característica chave, como IPAs e Pale Ales. Adições tardias capturam os óleos essenciais sem contribuir muito para o amargor, enquanto o dry hopping introduz compostos aromáticos complexos sem amargor adicional proveniente da fervura.

A dupla lupulagem é uma técnica onde os cervejeiros combinam adições de lúpulo tanto no início quanto no final da fervura. Esta abordagem visa equilibrar o amargor com o aroma do lúpulo, criando uma cerveja mais arredondada que satisfaz tanto o desejo de um amargor acentuado quanto de um nariz fragrante.

Apesar de serem descritas como modernas, algumas técnicas são de fato fundamentadas na história da produção de cerveja:

First Wort Hopping envolve a adição de lúpulo ao mosto antes da fervura. Este método, frequentemente usado em estilos que buscam uma harmonia entre amargor e aroma, como as cervejas de alta fermentação, proporciona um amargor mais suave e pode realçar a complexidade aromática da cerveja.

Mash hopping é a adição de lúpulo durante o processo de maceração. Embora não seja comumente utilizado em estilos de cerveja modernos, é um método voltado para o desenvolvimento de sabores e aromas específicos na cerveja.

Hop creep é um efeito secundário em cervejas dry-hopped, levando a uma fermentação secundária não intencional que pode alterar a composição da cerveja, incluindo o aumento dos níveis de álcool e CO₂. É um fenômeno que os cervejeiros devem gerir para manter a estabilidade da cerveja.

Adicionar lúpulo durante a fase de whirlpool permite aos cervejeiros extrair mais óleos essenciais e criar aromas mais intensos sem adicionar amargor significativo. Isso é benéfico para cervejas onde uma forte presença de lúpulo é desejada sem um amargor avassalador.

Dip hopping envolve a adição de lúpulo durante a fermentação para realçar aromas frutados e tropicais, enquanto suprime notas mais herbáceas e vegetais. Esta técnica pode oferecer um perfil aromático único para a cerveja acabada.

Embora métodos como First Wort Hopping e Mash Hopping tenham precedência histórica, sua reaplicação na indústria de cervejas artesanais os trouxe para a vanguarda das técnicas modernas de produção de cerveja. À medida que a indústria de cervejas artesanais continua a inovar, essas "modernas" técnicas provavelmente evoluirão ainda mais, oferecendo aos cervejeiros um conjunto de ferramentas cada vez mais amplo para criar cervejas diversas e complexas.